04/10/2013

Deterioração da saúde dos oceanos mais acelerada do que o previsto


Através de um relatório lançado pelo IPSO (Programa Internacional para o Estado dos Oceanos), concluiu-se que o estado de saúde dos oceanos está a agravar-se mais rapidamente do que o estimado devido ao aquecimento global. Atitudes humanas como a pesca intensiva e a negligência pelo ambiente também são outros dos grandes ceifadores da fauna e da flora marinhas. O resultado é assustador: de acordo com o documento, a água tem ficado gradualmente mais ácida em consequência da absorção excessiva de dióxido de carbono, prejudicando terrivelmente a reprodução e estabilidade dos corais. Com este elevado nível de acidez, o número de "áreas mortas" cresce, decorrente ao elevado uso de fertilizantes que poluem as águas, bem como a temperatura da água continua a aumentar.

Com estas alterações, inúmeras espécies estão em risco de extinção. Estes factores nefastos para a vida dos oceanos - aumento da acidez, aumento da temperatura e baixo nível de oxigénio na água - foram os causadores do fim de várias espécies marinhas no passado: teme-se que este episódio negro volte a repetir-se.

O relatório também demonstra que comportamentos como a pesca excessiva e a emissão exagerada de CO2 devem ser controlados e reduzidos, requerendo sustentabilidade piscatória e uma lista de produtos extremamente tóxicos.


Notícia: BBC.
Imagem | Fonte

Sem comentários:

Enviar um comentário