02/07/2014

A crueldade escondida nas corridas de cavalos


Imagem | Fonte

Quase esquecidos, devido aos abusos não serem tão visíveis, os cavalos usados nas corridas passam por uma experiência aterrorizadora que não inibe-se de administrar-lhes gratuitamente violência e maus tratos.
Muitos interrogam-se sobre o problema dessas corridas e porque é que os abolicionistas e defensores dos direitos dos animais são contra elas: a realidade esconde-se nos bastidores e, várias investigações levadas a cabo por várias associações bem como declarações de ex-funcionários do sector, oferecem agora a nu o que verdadeiramente ocorre.

Violência física: os cavalos são constantemente açoitados e agredidos durante os treinos. Os treinadores e proprietários, na sua maioria, vêem os animais como uma mera mercadoria que serve para ganhar dinheiro e pouco importam-se com o seu bem-estar.

Ingestão forçada de drogas: com o passar do tempo e/ou devido aos ferimentos, os cavalos chegam a um ponto que não conseguem correr mais. A solução encontrada para obrigá-los a participar nas corridas encontra-se no consumo absurdamente enorme de drogas; desde injecções, tranquilizantes, analgésicos e suplementos, tudo é permitido para que o cavalo volte a correr - apesar de proibido, continua a ser uma das transgressões mais realizadas nesta área.

Choques eléctricos: assim como a utilização de drogas, electrocutar também é proibido mas é um risco que alguns jóqueis decidem levar adiante. O objectivo é obrigar o cavalo a ganhar mais velocidade.

Lesões e fracturas: muitos cavalos são obrigados a correr ainda jovens, antes da estrutura óssea estar completamente desenvolvida, arriscando-se a fracturas. É frequente os animais magoarem-se a sério após uma carga intensiva de corridas e treinos intensivos: a grande maioria acaba por apresentar lesões musculares e fracturas ósseas, especialmente nas patas, ficando submetidos a dores atrozes que são bastantes vezes negligenciadas.

Fim da linha: poucos são os cavalos que, após anos de exploração, têm uma reforma decente: muitos acabam por ser abatidos ou lançados para o matadouro. A morte chega mais cedo se um cavalo, mesmo que jovem, lesione-se seriamente e fique incapaz de continuar nas corridas: os proprietários preferem matar a gastar dinheiro com um animal inválido.

No vídeo apresentado abaixo é explicado o que o cavalo sofre durante as corridas e as provas de hipismo. A cor vermelha indica os locais em que o equídeo sente dor devido aos movimentos, aos intrumentos usados, entre outros factores. Mais para a frente, mostram lesões internas causadas pelo esforço sobrenatural.



Recursos utilizados:

vista-se.com.br
anda.jor.br

Sem comentários:

Enviar um comentário