06/08/2016

10 documentários para despertar a consciência

Compaixão  – A virtude de compartilhar o sofrimento do outro. Olhar para o outro.
Empatia  – Considerar a possibilidade de uma perspectiva diferente da sua. Olhar com os olhos do outro.

Cada vez mais organizações, associações e particulares mostram o quanto é essencial encaixarmos a compaixão e a empatia no âmago das nossas responsabilidades e deveres como seres humanos. Há uns anos atrás isso não se sentia tanto, mas o grito silenciado do planeta levou a um despertar ético que, ainda assim, continua a não ser aceite por muitos de nós. É urgente compreendermos que o mundo não é uma pirâmide antropocêntrica e que existe mais vida para além da nossa - e que essa vida quer continuar a respirar, a existir.
E que não quer sofrer.
Fazer mal aos outros, só porque são animais não-humanos e os consideramos inferiores, comporta outras consequências que encontram-se firmemente interligadas mas que insistimos em desmenti-las: a desflorestação, o aquecimento global, a fome mundial e os problemas de saúde são algumas delas.

Abaixo seguem alguns documentários que vão, com certeza, mostrar como precisamos de mudar os nossos hábitos quotidianos. Aproveite as férias e junte a família e/ou os amigos para vê-los.



1 - COWSPIRACY


O filme, inteiramente inclinado para a questão ambiental, desmascara a nocividade da indústria pecuária nesse sentido, revelando que 51% das emissões de gases responsáveis pelo efeito estufa são causadas pela pecuária e actividades relacionadas. Outra questão interessante que é debatida no documentário é o facto das entidades políticas e até as próprias organizações ambientais ignorarem esta indústria como a principal responsável da desflorestação, poluição e degradação do ambiente.

O ‘Cowspiracy’ pode ser o mais importante filme feito para inspirar a salvação do planeta”. Louie Psihoyos, realizador do The Cove.




2 - EARTHLINGS


Puro, duro e cru: o documentário narrado pelo actor Joaquin Phoenix mostra-nos as condições dos animais que são utilizados por nós em todos os sectores: alimentação, experimentação, vestuário e entretenimento. O filme é acusado de sensacionalismo por muitas pessoas que não aceitam a realidade, sendo que as mesmas acreditam que o conteúdo apresentado no mesmo é uma mera minoria - e pensar assim não podia estar mais errado. O documentário revela o padrão comum, vulgo, o que acontece com os animais de um modo geral e de como os interesses económicos sobrepõem-se às suas vidas.




3 - A CARNE É FRACA


Produzido em 2005 pelo Instituto Nina Rosa, tem como objectivo provocar uma reflexão sobre as consequências do consumo da carne, sejam elas éticas, ambientais e sociais. Para além disso, aborda as questões que envolvem a saúde humana e os direitos dos animais, sendo por isso um dos documentários mais completos sobre este tema.




4 - VEGUCATED


Realizado a partir de um projecto que contou com a participação de três pessoas, desafiadas a adoptar uma dieta vegana por seis semanas, este documentário é essencial para os adoradores de produtos de origem animal. Informativo e ao mesmo tempo divertido, mostra como é possível mudar os nossos hábitos e as nossas considerações através de um simples passo.




5 - FOOD MATTERS



Focado na saúde, mostra como a alimentação actual está a destruir-nos gradualmente e a tornar-nos dependentes de medicamentos. Food Matters é o ideal para quem quer saber mais sobre a ligação entre o veganismo e a alimentação saudável, ao explicar que podemos mitigar e, até mesmo, acabar com incontáveis problemas de saúde se pouparmos os animais e os deixarmos de fora do nosso prato.




6 - MEAT THE TRUTH


Assim como o Cowspiracy, fala sobre o impacto ambiental provocado pela pecuária e também revela a crueldade dessa indústria para com os animais. Pode ser considerado como um questionamento do An Inconvenient Truth, de Al Gore, que trata das causas do aquecimento global, poluição, desenvolvimento desenfreado, mas que deixa a questão da pecuária de lado. De 2008, é apresentado por Marianne Thieme, deputada do Partido pelos Animais da Holanda.




7 - SEA THE TRUTH


Menos conhecido do que o anterior, é de 2010 e aponta para os problemas criados pela pesca excessiva. Para além disso, retrata a poluição preocupante dos oceanos e como esta também afecta a fauna respectiva, bem como alerta para as mudanças prejudiciais como consequência do aquecimento global. Por todas estas razões (e porque a vida marinha é a mais esquecida no que toca ao aspecto senciente e acaba por ser, também, a mais explorada) este documentário é obrigatório.




8 - THE COVE


Não pense que os parques aquáticos que têm animais são inofensivos e preocupam-se com o bem-estar deles: vencedor do Óscar na categoria de melhor documentário do ano de 2010, o filme descortina a caça aos golfinhos realizada em Taiji, no Japão. As imagens, terrivelmente chocantes, foram conseguidas a partir de câmaras escondidas: quando não são mortos para fins de consumo (o que é altamente perigoso devido aos níveis de mercúrio presentes no organismo dos animais), os golfinhos são capturados e vendidos para entretenimento, sendo este último o motivo maior para que o governo japonês dê continuidade à caça.




9 - BLACKFISH


Assim como o The Cove, Blackfish pretende transmitir a cruel realidade que os aquários e parques aquáticos procuram esconder em prol do lucro: desta vez é mostrada a triste vida das baleias que são retiradas à força do seu habitat natural, e como a reclusão involuntária das mesmas comporta problemas psicológicos graves que podem terminar em tragédia para os próprios humanos.




10 - ATAVE: A AVICULTURA ESCANCARADA


Apesar do consumo de carne vermelha ter diminuído ao longo dos anos, o consumo de aves tem apresentado um aumento significativo. Isso deve-se pela maior visibilidade que é dada à carne vermelha e de como esta é mais perigosa para a saúde e para o ambiente, bem como ficamos mais sensibilizados com o sofrimento dos mamíferos em relação ao sofrimento das aves. Esta curta-metragem, realizada por Guilherme Carvalho, mostra a realidade da produção de galinhas e de ovos para alimentação.

6 comentários:

  1. Eu tenho que admitir que não consigo ver este tipo de vídeos. Não sou vegetariana, mas tenciono tornar-me ainda este ano, por questões morais. Já não consigo viver com a consciência de que aquilo que como tenha feito um animal passar por tais horrores como se sabe que em maior parte das indústrias acontece! A seu tempo, caminho para tal...

    Marli, do My Own Anatomy ♥

    http://theglitterdoor.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também, ainda não sou totalmente, mas pretendo me tornar vegetariano, acho que tem que ser aos poucos..

      Eliminar
  2. Ai o "The Cove"! Foi dos primeiros que vi e marcou-me imenso. De forma que no meu secundário andei a dar palestras sobre a situação dos golfinhos... Acho que está na altura de rever alguns desses filmes.

    Obrigada pela compilação Mel*

    ResponderEliminar
  3. Animal doente = pessoas doentes ,nem assim abrem os olhos -.- o problema é o excesso e a exploração , penso que ser radical não resolve nada porque ha pessoas muito teimosas , reduzir , espaçar e exigir que os animais tenham um tratamento digno até que essa obsessão comece a perder força .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Discordo em relação ao radicalismo não resolver nada: também cheguei a pensar assim, até aperceber-me que a redução na produção e o bem-estar animal perpetuam ainda mais a exploração animal, já que as pessoas justificam o consumo de animais a partir dessas duas "razões": como comem poucos animais e são animais "bem-tratados", acabam por aproveitar-se disso como uma boa desculpa para continuar a usá-los e a comê-los.
      Reduzir o consumo de animais pode ser uma boa ideia para quem pondera uma transição para uma dieta vegetariana estrita; já a longo prazo continua a ser especista e negativamente impactante na vida dos animais. Dar tratamento digno aos animais também perde o seu efeito porque não invalida que sejam mortos e continuamente vistos como objectos de consumo, pelo que, assim como a redução, é também uma visão especista.
      É importante mostrar às pessoas, sejam teimosas ou não, que é urgente parar definitivamente com o consumo de animais e que existem imensos princípios para tal (morais, ambientais, sociais, etc) e que, acima de tudo, os animais não existem para nós e que a nossa obsessão pelo seu consumo é um valor bem mais fútil do que a vida deles.

      Eliminar
  4. n gst mt d documentarios mas aquele "the cove" s calhar interessava-me

    a tag onde te nomiei ja saiu podes ver aqui http://aquelecantinhodaaninha.blogspot.pt/2016/08/the-not-homophobic-tag.html

    ResponderEliminar