02/10/2016

13 marcas que pensamos ser cruelty-free, mas que não são


O termo cruelty-free aplica-se a produtos que não foram testados em animais, sendo que só pode ser considerada totalmente livre de testes em animais toda a empresa que:

– Não realize testes em animais;
– Não compre ingredientes a fornecedores que testam em animais;
– Não envie ingredientes para que terceiros testem em animais;
– Não venda em regiões que obrigam testes em animais.

Já para ser classificado como vegano, um produto não deve ter nenhum ingrediente de origem animal.

Infelizmente, muitas marcas continuam a sujeitar-se a um sistema obsoleto que sacrifica milhares de animais por ano, sendo que algumas delas são erradamente vistas como livres de crueldade pelos consumidores. Abaixo seguem alguns exemplos.


RIMMEL LONDON

Assim como as restantes marcas pertencentes à Coty Inc., encontra-se sujeita a testes em animais quando a lei o impõe.

Our safety assessment of cosmetic ingredients is based on the use of recognized alternatives to animal testing, the use of existing safety data and, increasingly, the sharing of such data with other industries. We do not perform, nor do we ever commission any third parties on our behalf to perform, testing of our products or ingredients on animals.


The only exceptions are the very few countries where, by law, the regulatory authorities require us to submit our products or ingredients to them for testing on animals as a mandatory part of their regulatory protocols in compliance with their local regulations. In these countries we regularly communicate directly with the authorities and try to convince them to accept the validity of the results of alternative non-animal testing methods. We accede to mandated testing by the authorities on animals only as a last resort.

O modo como este comunicado está escrito dá a entender que são obrigados e que odeiam que isto aconteça e que não conseguem dormir à noite por causa desta situação, mas sejamos realistas: muitas marcas recusam vender os seus produtos em regiões que exigem testes em animais. Se a Coty Inc. acata estas condições é porque coloca o lucro à frente da ética, nada mais.


L'ORÉAL

Meio mundo deve ter desabado de felicidade quando a marca anunciou, no seu site, que não testava mais em animais. Infortunadamente foi felicidade de pouca dura, tendo em conta que a gigante francesa também aceita testes em animais quando as leis assim o requerem.
The Group no longer tests on animal, anywhere in the world, and does not delegate this task to others. An exception could be made if regulatory authorities required it for safety or regulatory purposes.


BENEFIT

Pelo que percebi ao longo da minha pesquisa, é uma daquelas marcas que as pessoas assumem logo que é cruelty-free, até porque na FAQ da página oficial negam peremptoriamente a realização de testes em animais. Todavia, como está estabelecida na China através da Sephora, e a China tem como regulamento obrigatório testar em animais todos os produtos cosméticos de marcas internacionais, a Benefit não é livre de crueldade.


BOURJOIS

No site está escrito que não testam em animais, mas esqueceram-se de acrescentar que vendem na China.


REVLON

Revlon does not conduct animal testing and has not done so since 1989. We comprehensively test all of our products using the most technologically advanced methods available to ensure they are both innovative and safe to use. We believe that women should have the opportunity to express themselves through makeup, so we sell our products in many markets around the world and as such, are subject to local rules and regulations. Regulatory authorities in a few countries conduct independent testing in order to satisfy their own mandatory registration requirements. Revlon complies with all regulations in the countries in which our products are sold, and supports the advancement of non-animal testing alternatives and methodologies in our industry.

É notório que a Revlon tenta disfarçar maximamente a cumplicidade que tem com os testes em animais, pelo que é mais fácil resumir que a situação da marca é a mesma de quase todas as que continuam na lista negra: vende na China.


AVÈNE

A Pierre Fabre, detentora da Avène e de outras marcas conhecidas como a Elgydium, é igualmente uma desilusão no que toca a este assunto. Na página da Avène é assegurado que não praticam testes em animais e que utilizam alternativas, mas também vende na China. E, assim como outras marcas, esse pormenor não é directamente revelado.


INGLOT

A Inglot é um caso complicado: compra ingredientes exclusivamente para uso cosmético e assegura-se que os fornecedores não testam em animais nesse tipo de ingredientes; contudo, não certifica-se se os fornecedores testam, ou não, nos restantes ingredientes. Para uma empresa/marca ser considerada cruelty-free, os seus fornecedores também devem ter uma política contra testes em animais com todos os ingredientes, aspecto que a Inglot ignora. Deste modo, torna-se mais uma marca que deve ser evitada.


VICTORIA'S SECRET

Foi, durante anos, conhecida como uma marca livre de testes em animais, sendo apreciada por muitas mulheres: agora é mais uma marca que deu um passo para trás na evolução ética. Quando essa decisão foi tomada, a L Brands, que detém a Victoria's Secret, colocou um comunicado sobre o assunto: no entanto, esse comunicado desapareceu do site e deu lugar a uma declaração mais subtil e menos informativa de que estão estabelecidos na China.


AVON

O compromisso da AVON de não testar os seus produtos em animais continua o mesmo desde há 20 anos. Nada mudou e continuamos em conversações com a PETA sobre este tema. Sempre declarámos de forma clara que a AVON não faz testes com animais "excepto quando a legislação a isso obriga". A AVON comercializa os seus produtos em mais de 100 países e uma quantidade mínima desses países tem leis que obrigam a testar alguns produtos com animais. Estas leis afectam todas as empresas, não apenas a AVON. Evidentemente, a AVON não pode infringir estas leis. No entanto, em cada caso, a AVON faz um grande esforço para persuadir a autoridade requerente a aceitar outro tipo de testes, sem animais.

Só quero acrescentar que não fica bem à AVON vitimizar-se desta maneira, já que as empresas não são obrigadas a estabelecer-se em países que têm este regulamento.


YVES ROCHER

Esta marca é uma autêntica armadilha dos pés à cabeça: na página portuguesa não tocam no assunto e na francesa está escrito que não testam em animais e que estão totalmente dedicados à luta contra esses mesmos testes.

Nous ne testons pas nos produits sur les animaux. La Marque Yves Rocher s'est d'ailleurs engagée très tôt dans la lutte contre les tests sur animaux. Dès 1989, en proposant de manière pionnière de remplacer les tests sur animaux par des méthodes alternatives, Yves Rocher a entraîné dans son sillage de nombreux acteurs de la vie économique. En 1992, la S.P.A. (Société Protectrice des Animaux) nous a d'ailleurs décerné sa Médaille d'Or, en récompense de notre action en faveur des animaux.

A verdade é que a empresa francesa vende na China, o que a torna automaticamente vazia de ética animal.


MARY KAY

A empresa anuncia abertamente no site que cede os seus produtos para serem testados em animais quando a lei assim o manda:

Mary Kay does not conduct animal testing on its products or ingredients, nor ask others to do so on its behalf, except when absolutely required by law. There is only one country where the company operates – among more than 35 around the world – where that is the case and where the company is required by law to submit products for testing – China.


ORIFLAME

Sim, também vende na China.

A Oriflame não conduz ou solicita testes em animais para substanciar a segurança ou eficácia de quaisquer dos seus produtos ou ingredientes em nenhuma das fases do processo de desenvolvimento dos produtos.

Contudo, a Oriflame deve cumprir as leis de cada país onde está presente, e alguns países requerem dados obtidos através de testes em animais, de forma a registarem os produtos nesse mercado. Neste caso, nós fornecemos informações completas sobre o registo dos produtos, incluindo uma avaliação totalmente segura, feita de acordo com os requisitos da Diretiva Europeia de Cosméticos. Estas informações devem ser suficientes para que não sejam necessários testes em animais e esforçamo-nos sempre por persuadir as autoridades relevantes a aceitarem as informações fornecidas. Quando tal não é possível, temos que, relutantemente, submeter os produtos a testes adicionais, o que pode incluir testes em animais.


MAC

Como pertence à Estée Lauder, uma das inúmeras empresas que testam em animais quando requerido por lei, não é cruelty-free e o seu boicote deve ser considerado.

Alternatives exist, but they aren’t accepted everywhere. Even though we don’t test on animals ourselves, but because of requirements by law, our products or ingredients can be tested on animals in places like China.



Quer conhecer marcas, produtos e alternativas verdadeiramente cruelty-free? Veja este artigo ou envie uma mensagem se procurar por algo específico.

27 comentários:

  1. Fico para lá de chateada quando adoro uma marca, vejo que não contém produtos de origem animal, que se assume como cruelty-free e depois descubro que afinal não é. E tenho um bocadinho de vergonha de admitir que, infelizmente, não sou 100% cruelty-free. O processo para o veganismo tem sido para mim uma longa jornada, e se deixar de comer carne e peixe foi facílimo, só deixei de consumir ovos e laticínios quando juntei a minha saúde à equação. Nos cosméticos já uso produtos cruelty-free quando encontro marcas de que gosto, mas não tenho a força de vontade para não comprar um verniz da Rimmel, por exemplo, quando ainda não conheço alternativas, ou para deixar os produtos da Caudalie que são tão bons para a minha pele. É uma porcaria, eu sei, e completamente em contradição com os meus valores. Em relação a esta lista, a maior facada foi da Benefit. Espero que a Too Faced não seja a próxima :'(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. P.S. Tenho usado o châmpo da Elisa Câmara que recomendaste aqui no blog e estou a notar diferenças no meu cabelo, que está mais denso e menos oleoso :)

      Eliminar
    2. Compreendo perfeitamente a tua frustração: é realmente muito chato descobrirmos que as marcas que mais adoramos são testadas em animais.
      Quanto à pele, espreita estes dois sites [x] [x]; acho que vais encontrar umas coisas interessantes. Sobre vernizes, posso dizer-te que a Cliché e a Andreia não testam em animais e os vernizes de cor são veganos: fica também atenta porque brevemente publicarei um artigo só com vernizes cruelty-free :)

      Eliminar
    3. Olá. Sendo alguém que há muitos anos deixou para trás qualquer produto testado em animais posso dizer que foi uma mais valia para o meu corpo, visto que os produtos que uso são muito melhores que qualquer um que usava antes. Em relação à pele, troquei tudo por uma única coisa - óleo de coco. Melhor tratamento para a minha pele, melhor anti-rugas que existe, melhor tudo... Já não há cremes de noite, cremes de dia, cremes de corpo, cremes de cara, anti-rugas para os olhos... apenas óleo de coco. Confesso que nunca gostei dos produtos da Elisa Câmara, mas se queres uma excelente marca que tem tudo e mais alguma coisa para cabelo, pele e lábios é a Dr. Organic. É um pouco mais caro mas vale bem a pena. E na verdade, ao começar a usar oleo de coco, as únicas coisas que compro são champô, condicionador e óleo de argan para o cabelo. Quanto a vernizes e maquilhagens, não uso portanto não posso falar...

      Eliminar
    4. O óleo de coco é bastante versátil e serve para quase tudo; só não o acho a melhor opção para quem tem pele mista/oleosa (experiência própria) mas consegue substituir muita coisa e acaba por ser mais barato.
      Os produtos para os lábios da Dr. Organic têm lanolina, pelo que não são veganos.

      Eliminar
    5. Eu já uso alguns produtos da Dr. Organic, mas acho os champôs e amaciadores demasiado caros, principalmente porque tenho que lavar o cabelo diariamente. Há uma marca chamada Faith in Nature (devem conhecer) que costuma ter packs de champô e amaciador (ambos de 250ml) por menos de €10. Vou experimentar esses quando terminar o da Elisa Câmara =)

      Eliminar
    6. Tentou usar os produtos da Lola Cosmetics (pra cabelo)? É 100% vegano, e nao possui ingredientes que danificam o cabelo. Recomendo. E agora estão lançando alguns produtos pra pele também.

      Eliminar
    7. Não há Lola Cosmetics em Portugal.

      Eliminar
  2. Não fiquei surpreendida com esta lista, até porque sempre que via referências a marcas como a Benefit ou a Avene ficava sempre desconfiada até que ponto eram mesmo cruelty free :/ a esta lista ainda acrescentaria a Caudalie, como já foi referido pela Nádia, que tem na embalagem o símbolo cruelty free mas depois vende na China :( é triste porque tens marcas com bons produtos a fazer falsa propaganda de algo tão importante...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Patrícia,
      As marcas que coloquei nesta lista também não eram uma novidade para mim, mas como nas minhas pesquisas encontrei blogues sobre veganismo/produtos cruelty-free que apontavam estas marcas como seguras fiquei um bocado assustada e achei melhor colocá-las neste artigo. A Inglot, então, nem se fala: muitas pessoas, incluindo veganas, acham mesmo que é cruelty-free. É incrível como conseguimos ser enganados facilmente :(
      Sim, quando a Nádia falou da Caudalie pensei logo em fazer outra lista com mais marcas inseridas nesta categoria. Quando eu tiver mais tempo fá-lo-ei.

      Beijinho*

      Eliminar
  3. Descobri agora o blog através do facebook e vou estar atenta. O meu caminho é mais inicial, deixei a carne e o peixe, o leite, faço os possíveis por escolher os melhores produtos de limpeza e procuro sempre os que tenham os selos cruelty-free, mas não sou ainda vegetariana e não sei se algum dia serei vegana. Mas sei que tento todos os dias fazer um pouco melhor. Fiquei surpreendida com algumas das marcas, mas infelizmente já percebi que, nessas indústrias nem tudo o que parece, é. Já agora, há algum texto sobre produtos (châmpos, cremes, cosmética) dos que são realmente seguros? :D Grata!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Bárbara,
      Podes encontrar uma lista com vários produtos de higiene e cosmética aqui [x]. Essa lista encontra-se sempre em actualização, pelo que vai visitando-a de vez em quando :)

      Beijinho*

      Eliminar
    2. Obrigada! Já tenho uma lista para as próximas compras!

      Eliminar
  4. Levei o seu link para minha página do blog no FB. Importante divulgar!

    ResponderEliminar
  5. Boa, fico sempre feliz em saber quem devo evitar!

    ResponderEliminar
  6. Obrigada pela sugestão de ajuda. Não funcionou, mas agradeço na mesma o tempo dispensado :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso que já está resolvido! Muito obrigada pela prontidão na resposta e pela disponibilidade.

      Já agora: gostei muito do tema geral do teu blog, vou ler com mais atenção :)

      Eliminar
    2. Ufa, ainda bem.
      Passa por aqui as vezes que quiseres :)

      Beijinho*

      Eliminar
  7. E COMO FICA A SITUAÇÃO PARA QUEM PRECISA TOMAR REMÉDIOS? COMO SABER?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como os medicamentos são quase todos testados em animais, fica muito mais complicado. Já li que os medicamentos genéricos não são testados (pelo menos aqui em Portugal), mas nunca consegui encontrar provas que corroborassem essa informação. Por outro lado, há doenças que implicam a prescrição de imensos remédios que podem ser evitadas e até mesmo anuladas com uma alimentação vegetariana estrita e saudável.

      Eliminar
  8. E eu que sou uma veterana quanto a este assunto... Há anos que todos os dias luto contra estas e todas as situações que me chegam por email, como petições vindas de todos os pontos do planeta, pertenço à PETA,... Sempre me disseram que a Oriflame, Yves Rocher e o Boticário, não testavam em animais!!
    Sou representante destas marcas!!��
    O que me podem ilucidar acerca disto, por favor? ��

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde,

      Como deves ter lido no artigo, a Oriflame e a Yves Rocher estão envolvidas em testes com animais por venderem na China. Qualquer empresa/marca internacional que comercialize na China tem de aceitar o regulamento que exige testes em animais. Podes ler mais sobre este assunto aqui:
      https://logicalharmony.net/animal-testing-and-china/
      Quanto ao Boticário, tanto já li que não testam como terceirizam os testes.
      Sobre a PETA, as listas que apresentam são incompletas e têm alguns erros. Contudo, se fores ao site deles e pesquisares por Yves Rocher e Oriflame aparecerá isto:

      Yves Rocher
      Warning! This company DOES test on animals.


      Oriflame
      Warning! This company DOES test on animals.



      As empresas que testam e/ou vendem na China tentam sempre suavizar ou contornar o assunto, pelo que é normal ficarmos sem saber. Mas a verdade é esta e essas empresas podem tentar justificar-se como quiserem, dizendo que é o regulamento chinês que faz os testes e não a empresa: não deixa de ser terceirização e aceitação dos testes em animais.

      Espero ter esclarecido :)

      Eliminar
  9. Fico na dúvida sobre a Natura, no site aparece sem teste em animais, mas em muitos blogs falam q o sac dá respostas contraditórias sobre o assunto. Você sabe de algo?
    Gosto muito do corretivo deles.
    verdeveggie.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Júlia,
      O que se passa com a Natura é o seguinte: afirmam que são cruelty-free e no contacto que lhes enviei também o disseram. No entanto, a marca nunca conseguiu confirmar que não estava envolvida no escândalo do Instituto Royal e por isso muitas pessoas boicotam. Também há quem diga que eles não comprovam que não terceirizam testes.

      Eliminar