06/06/2017

Absorventes cruelty-free e seguros


Já escrevi sobre o copo menstrual no blogue e como este alberga imensas vantagens em relação aos pensos higiénicos e aos tampões: é mais económico, mais ecológico e as probabilidades de desencadear alergias são nulas. Todavia, nem todas as mulheres gostam do copo menstrual ou, simplesmente, não querem utilizá-lo. Assim, para que nenhuma fique de fora e obtenha, pelo menos, mais segurança para a sua saúde, recomendo absorventes que não têm químicos irritantes, ao contrário das marcas mais conhecidas. Mas, antes disso, quero partilhar alguma informação sobre o perigo dos tampões e as marcas que testam em animais.


O problema no uso de tampões

Admito que nunca utilizei tampões. Inicialmente foi por preguiça (sempre achei os pensos higiénicos mais práticos, blá blá), mas depois foi por ter lido sobre a Síndrome do Choque Tóxico (SCT). A Síndrome do Choque Tóxico, apesar de ser rara, é quase sempre fatal e, por isso, deve ser levada a sério. Tal ocorre devido a uma toxina provocada por bactérias Staphylococcus aureus ou Streptococcus pyogenes.

SCT e tampões

As fibras sintéticas, utilizadas nos tampões, facilitam o desenvolvimento de algumas bactérias, incluindo a primeira transacta. Isso deve-se por vários factores:

Utilização de químicos: Para aclarar o algodão e as fibras sintéticas dos tampões são usados branqueadores, responsáveis pela presença de dioxinas. As dioxinas são substâncias classificadas como perigosas para a saúde, interferindo nas nossas hormonas e podendo danificar o nosso sistema imunitário. Também foram associadas à endometriose.

Fibras sintéticas presentes nos tampões: Como referido acima, os tampões usuais possuem fibras sintéticas. Essas fibras deixam resíduos de absorção na vagina e, embora a quantidade de resíduos seja muito reduzida, acabam por ter um efeito acumulativo devido ao uso repetido.

Fragrâncias: Tampões com fragrâncias acabam por ter um nível de toxicidade ainda maior, já que têm perfumes sintéticos compostos por substâncias voláteis. Uma substância química volátil evapora-se com facilidade, pelo que a mucosa vaginal vai absorvê-la.

Ambiente favorável para as bactérias: Um tampão absorve o sangue mas deixa-o retido e em contacto com a vagina. Quando são deixados por muito tempo acabam por ajudar no desenvolvimento bacteriano, facilitando deste modo as infecções vaginais.
Outra situação é a entrada de ar e, consequentemente, de oxigénio: o oxigénio altera a temperatura natural da vagina, o que desencadeia o desenvolvimento de micro-organismos que são também responsáveis por infecções.

Super-absorção: Os tampões super-absorventes desidratam e secam a mucosa da vagina, tornando-a mais vulnerável a vaginites e outras inflamações.

Posto isto, obviamente que a minha recomendação é que não utilizem tampões, mas se não conseguem prescindir deles
prefiram os biológicos, sem perfumes e sem componentes sintéticos,
mudem de tampão de três em três horas (mesmo com pouco fluxo),
não os usem frequentemente e, muito menos, à noite.


Marcas que testam em animais

❌ Ausonia (Procter & Gamble)
❌ o.b. (Johnson & Johnson)
❌ Carefree (Johnson & Johnson)
❌ Evax (Procter & Gamble)
❌ Tampax (Procter & Gamble)


Marcas vegan, cruelty-free e seguras


100% algodão biológico: O algodão é um dos produtos não-alimentares mais tratados com pesticidas e outras substâncias que permanecem presentes nos absorventes usuais e que acabam por ser absorvidas pela pele e pela mucosa vaginal.
100% natural: Sem cloro, sem perfumes e sem polímeros super-absorventes.
0% plástico: Para além de ser 90% biodegradável, a marca é somente composta por algodão, bioplástico (feito a partir de amido de plantas) e polpa de madeira.

Para além dos absorventes menstruais, a Natracare também tem uma gama pensada para as mamãs, com pensos pós-parto e discos de amamentação, e outra para a incontinência.

Onde comprar:
Lojas físicas: Celeiro, alguns mercados biológicos e algumas farmácias
Online: Bebitus, Green Goji, Rebento, Bebeeco




Hipoalergénicos
Respiráveis
Biodegradáveis

Nada de plásticos e nada de químicos: os absorventes desta marca australiana são 100% algodão, pelo que respeitam o ambiente e a nossa saúde íntima. A purificação do algodão é feita a partir de oxigénio (enquanto as maior parte das marcas continuam a utilizar lixívia), o que também torna este processo mais seguro e sustentável.

Uma coisa que adorei da Cottons é de estar virada para o público feminino pré-adolescente e adolescente, oferecendo informações sobre a puberdade, a menarca e o ciclo menstrual. Em Portugal não se encontra disponível, mas a marca possui um kit de iniciação ao período, com absorventes diferentes, para as meninas descobrirem qual é o absorvente mais adequado para elas.

Onde comprar:
Online: Saúde Feminina, PromoFarma (tem mais produtos mas os portes de envio não são nada simpáticos)




100% algodão biológico: Sem aditivos, sem materiais artificiais, não geneticamente modificado.
100% natural: Isento de cloro, fragrâncias e polímeros super-absorventes. A purificação é feita com peróxido de hidrogénio e a camada protectora é de Mater-Bi, um bioplástico biodegradável.
Sem polpa de madeira.

A Organyc também tem produtos para as mães e os bebés, como discos de amamentação, toalhitas de limpeza e cotonetes.

Onde comprar:
Online: Organii


Quer conhecer mais marcas, produtos e alternativas verdadeiramente cruelty-free? Veja este artigo ou envie uma mensagem se procurar por algo específico.


Recursos utilizados:

Imagem [x]

1 comentário:

  1. Não conhecia estas marcas mas vou já pesquisar! Eu costumo usar pensos e apenas uso tampões quando vou à praia ou piscina. Gostava de experimentar o copo menstrual mas tenho algum receio. Tenho que ler bem sobre o assunto.

    ResponderEliminar