10/08/2017

114 plantas tóxicas para animais


Mais de setecentas plantas já foram confirmadas como perigosas para os animais (e algumas para as crianças e adultos também). Segue, abaixo, cento e catorze dessas plantas.


Abioto: flor selvagem com elevada toxicidade em todas as suas partes, mas principalmente nas raízes.

Acácia-bastarda: uma árvore cuja casca e/ou raízes externas podem revelar-se fatais para um animal de estimação.

Açafrão-do-prado: flor de jardim altamente tóxica, independentemente da parte da planta que for ingerida.

Acónito: uma flor selvagem com elevados níveis de toxicidade, nomeadamente nas raízes e sementes.

Actaea: uma flor selvagem cujos bagos e/ou raízes não devem ser consumidas por animais de estimação.

Açucena: uma planta florida que é comum a muitas casas e especialmente tóxica para os gatos.

Aesculus: uma árvore que apresenta rebentos, nozes e sementes de elevada toxicidade para consumo animal.

Agrostemma: flor selvagem com sementes que apresentam níveis de toxinas elevadas.

Alamanda: as sementes são tóxicas.

Alfeneiro/Alfena: um arbusto ornamental com folhas e bagas desaconselhados para consumo por parte de qualquer animal de estimação.

Algoz-das-Árvores: uma espécie de arbusto trepadeira que, sendo altamente perigoso para os animais de estimação, as suas bagas é que são particularmente venenosas.

Amargoseira/Cinamomo: uma árvore com sementes potencialmente perigosas.

Amarílio/Amaryllis: contém toxinas causadoras de vómitos, diarreia, dor abdominal, anorexia e tremores.

Antúrio: esta bela planta, em forma de coração, esconde uma subtância terrível que provoca irritações nas mucosas, inchaço da boca, garganta e língua, asfixia, náuseas, vómitos e diarreia.

Arnica: assim como a alamanda, é nas sementes que reside o perigo.

Aroeira: um pequeno arbusto com bagos vermelhos, sendo que a toxicidade está concentrada nas suas folhas.

Arruda: toda a planta é tóxica.

Árvore-da-morte: tal como o seu próprio nome indica, a fruta e a seiva desta árvore podem revelar-se fatais.

Astereae: extremamente tóxica, esta flor selvagem não deve ser ingerida.

Astragalus: uma flor selvagem altamente venenosa, independentemente da parte consumida.

Ave-do-paraíso/Strelitzia: uma flor de jardim com vagens tóxicas.

Avelós: a planta é perigosa na sua totalidade.

Avenca: A ingestão dos brotos pode provocar cancro nos animais.

Azáleas: quer sejam domésticas ou encontradas em zonas selvagens, qualquer componente desta planta é perigosa para os animais.

Azevinho: um arbusto com bagas vermelhas que são altamente tóxicas.

Begónia: bela mas perigosa. O tubérculo provoca irritação da boca, língua e lábios, dificuldade em engolir e sensação de queimadura.

Beladona: erva de jardim que é toda ela tóxica, principalmente as raízes e sementes.

Buxinho: as folhas são o maior problema.

Calumba: uma hera com raízes e fruta altamente venenosas.

Cambará-de-jardim: uma planta doméstica cujas folhas são venenosas.

Camelina: uma erva selvagem com sementes particularmente tóxicas.

Carvalho: os rebentos e as folhas desta popular árvore são venenosas se ingeridas por animais de estimação.

Castanheiro-da-índia: uma árvore que apresenta nozes e varas perigosas se consumidas por animais.

Cerejeira negra: uma árvore cujas folhas e caroço dos seus frutos não devem ser ingeridos por animais de estimação.

Ciclame da Pérsia/Cyclamen: provoca irritação gastrointestinal intensa, podendo progredir para morte.

Conium: altamente venenosa, esta planta do campo tem nas folhas, caule e fruta, a sua maior fonte de perigo.

Consolida: uma flor selvagem que é particularmente nociva enquanto jovem.

Coroa-de-cristo: este arbusto espinhoso tem uma substância irritante que, em contacto com a pele ou ingerido, provoca reacções inflamatórias como inchaço, dor e vermelhidão.

Costela-de-adão: as folhas, o caule e o látex são tóxicos.

Crisântemo: entre outros sintomas comuns de intoxicação, pode causar perda de coordenação motora.

Crotalaria: uma flor selvagem altamente tóxica, independentemente da parte que for ingerida.

Cróton: as sementes são tóxicas.

Daphne: um arbusto que apresenta perigo para a saúde dos animais se ocorrer a ingestão da sua casca, folhas e/ou bagas.

Datura suaveolens: também conhecida como saia branca ou trombeta de anjo. As sementes são tóxicas.

Datura metel: é chamada de saia roxa e, assim como a sua semelhante branca, tem sementes tóxicas.

Delphinium: uma flor selvagem tóxica para os animais, principalmente as varas.

Dicentra cucullaria: uma flor selvagem, mas também de jardim, que apresenta folhas e raízes particularmente tóxicas.

Dieffenbachia: uma planta doméstica popular que é venenosa.

Digitália/Dedaleira: uma flor de jardim, mas também selvagem, cujas folhas são especialmente venenosas.

Dracaena: as folhas provocam vómitos, depressão, hipersalivação e pupilas dilatadas no caso dos gatos.

Ervilha do Rosário: as sementes desta planta doméstica contêm elevados níveis de toxicidade.

Espada-de-são-jorge: esta planta ornamental, muito apreciada pela sua beleza, provoca problemas respiratórios e salivação intensa quando ingerida.

Figueira-do-inferno: uma planta do campo que, embora seja perigosa no seu todo, apresenta a maior toxicidade nas sementes.

Filodendro: uma planta doméstica altamente tóxica que deve ser mantida fora do alcance dos animais.

Glicínia: as sementes e vagens desta planta ornamental são perigosas se ingeridas.

Glória-da-manhã: as raízes e as sementes desta flor selvagem são venenosas.

Goji: uma hera ornamental cujas folhas e rebentos são altamente tóxicos.

Hera: planta trepadeira que apresenta elevados níveis de toxicidade, nomeadamente nas folhas e bagas.

Hibisco: as flores e as folhas são tóxicas.

Holcus lanatus: uma erva com folhas particularmente nocivas para os animais.

Hortênsia: as suas folhas e gomos podem causar náuseas, irritação cutânea, dor abdominal e suores.

Íris: uma planta selvagem, mas também muito comum em jardins domésticos, é necessário ter especial cuidado com as suas raízes e folhas.

Jacinto: uma planta doméstica que também é encontrada em campos selvagens e cujos bolbos são extremamente tóxicos.

Jarro: também conhecida como copo-de-leite, o seu princípio activo é o oxalato de cálcio. A ingestão desta bela planta causa irritação nas mucosas, dor severa e edema de glote.

Jasmim amarelo: uma planta ornamental com flores e folhas perigosas.

Jatropha: em forma de árvore ou arbusto, esta planta apresenta perigo devido às sementes.

Jibóia: a parte tóxica são as folhas, o caule e o látex.

Junco: uma planta aquática (comum nos lagos de jardim, por exemplo) com folhas altamente perigosas.

Kalanchoe: pode causar irritação gastrointestinal e problemas sérios no coração.

Laburnum: uma planta ornamental com sementes, vagens e flores venenosas.

Leite-de-galinha: uma flor selvagem tóxica que não deve ser ingerida por qualquer animal.

Lepidium: erva selvagem com sementes muito tóxicas.

Lírio-de-um-dia: uma flor de jardim, mas selvagem também, que é especialmente tóxica para os gatos.

Lírio dos vales: uma flor selvagem, mas também de jardim, apresenta perigo tóxico ao nível das flores e folhas.

Loureiro: um pequeno arbusto cujas folhas são nocivas se ingeridas por um animal.

Macieira: árvore de fruta, cujas sementes são tóxicas para os animais de estimação.

Mamona/Rícino: uma planta doméstica que contém sementes altamente tóxicas.

Margaridas: causam irritação cutânea e comichão.

Mostarda: esta planta selvagem tem nas suas sementes o principal perigo no que toca a uma possível intoxicação por parte dos animais de estimação.

Narciso: esta flor de jardim tem nos seus bolbos toxinas perigosas se consumidas por animais de estimação.

Oleandro/Loendro: um arbusto ornamental com folhas impróprias para consumo.

Olho-de-cabra: as sementes são tóxicas.

Orelha-de-burro: provoca irritação na boca e garganta, náuseas e vómitos.

Orelha-de-elefante: uma planta doméstica que é, no seu todo, altamente tóxica.

Palmeira-de-sagu: embora completamente perigosa no que toca ao consumo, as sementes desta planta ornamental são especialmente venenosas.

Phytolacca: uma planta do campo cujas raízes, sementes e bagas apresentam quantidades elevadas de tóxicos.

Pinhão paraguaio: as sementes e os frutos são perigosos.

Pinhão roxo: as folhas e os frutos são tóxicos.

Poinsétia/Estrela-do-natal: planta típica da quadra natalícia, é potencialmente perigosa para os animais se estes ingerirem o seu caule, folhas e/ou flores.

Polygonum: a seiva proveniente desta flor selvagem é venenosa para os animais.

Pothos: se mastigada ou ingerida, provoca irritação grave e inchaço nos tecidos orais e no trato digestivo.

Prímula: em forma de flor selvagem ou erva, os seus níveis de toxicidade concentram-se principalmente nas folhas e caule.

Prunus virginiana: um arbusto selvagem com folhas, bagas e caroços tóxicos.

Ranúnculo: uma flor selvagem com folhas especialmente venenosas para os animais.

Rododendro: um arbusto ornamental com folhas especialmente perigosas.

Rosa de Natal: uma flor de jardim, cujas folhas e raízes externas escondem substâncias tóxicas.

Ruibarbo: as folhas desta planta, que é comestível para os humanos, não deve ser ingerida por animais.

Sabugueiro: uma árvore cuja casca, folhas, botões e raízes apresentam níveis perigosos de toxinas.

Samambaia: pode matar se o animal não for socorrido a tempo. Os sintomas passam por problemas gastrointestinais, náuseas, vómitos, cólicas abdominais, diminuição do número de plaquetas e diarreia com sangue.

Schefflera: assim como as plantas que possuem oxalato de cálcio, provoca irritação e inchaço nas boca e garganta, sensação de queimadura e vómitos.

Solano/Ginjeira-do-Brasil: uma planta ornamental cujas folhas e fruta verde podem ser tóxicas se ingeridas por animais de estimação.

Solanum carolinense: uma flor selvagem com elevada toxicidade em todas as suas partes, com particular destaque para as bagas.

Solanum mauritianum: o seu principal composto, a solasodina, faz com que a ingestão da planta provoque diarreia, inflamação do duodeno, elevação das enzimas hepáticas, gastrite, náuseas, complicações neurológicas e vómitos.

Sorgo: uma espécie de erva com folhas venenosas.

Sanguinaria/Sanguinea: uma flor selvagem com elevada toxicidade para os animais, principalmente as raízes e caules.

Taioba brava: para além dos sintomas próprios das plantas com oxalato de cálcio, em contacto com os olhos pode provocar irritação e lesão da córnea.

Teixo: as folhas, sementes e casca desta árvore podem ser venenosas para um animal.

Tinhorão: uma planta doméstica altamente tóxica.

Tomate verde: a tomatina é encontrada em concentrações elevadas nas folhas e nos frutos verdes, tornando-se inerte quando os últimos amadurecem. A ingestão do tomate verde pode causar problemas cardio-respiratórios, salivação intensa, diarreia e vómitos. 

Tremoceiro: um arbusto com sementes e vagens particularmente nocivas se consumidas por animais de estimação.

Veratrum viride: uma flor ornamental com raízes, folhas e sementes especialmente tóxicas.

Violeta: O caule e as sementes são tóxicos. Se ingerida em grande quantidade, causa gastrite severa, depressão circulatória e respiratória, diarreia e vómitos.

Visco/Visgo: planta doméstica característica do Natal, tem nas suas bagas o maior perigo.

Zigadenus: uma erva do campo com caule, folhas, flores e sementes particularmente venenosas.


O que fazer se desconfia que o seu animal mastigou/ingeriu ou teve a pele em contacto com uma planta tóxica?

Leve o seu animal urgentemente a um veterinário;
Remova a maior quantidade de planta da boca ou do corpo do animal que lhe for possível;
Identifique a planta: se não o conseguir ou não tiver a certeza de que planta se trata, leve uma parte dela ao veterinário;
Se o animal regurgitou a planta, leve-a como amostra num saquinho para que o veterinário possa analisá-la;
NÃO ESPERE por respostas de amigos, conhecidos ou grupos nas redes sociais: pegue logo no seu animal e procure imediatamente ajuda de um veterinário.


Conhece mais alguma planta que seja perigosa para os animais? Deixe num comentário para ser adicionada à lista.



Referências utilizadas:

9 comentários:

  1. R: O quê?! Ameaçada?! Socorro, isto vai de mal a pior!
    Ai meu Deus, não fazia a mínima! Já não tenho gatinhos, mas tenho um cão, e tenho sempre medo do que ele come na rua, apesar de não sair sem mim :/
    Beijinhos,
    Blog An Aesthetic Alien | Instagram | Facebook
    Youtube

    ResponderEliminar
  2. Não fazia ideia de grande parte! Os lirios era dos poucos que tinha noção que são perigosos para os gatos. Obrigado pela excelente partilha!
    The Fancy Cats

    ResponderEliminar
  3. Não sabia de algumas boa informação
    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Thank you for this lovely list.
    I have a cat and I always have to Google which plants are toxic.
    It's nice to have a list.

    take a look at my BLOG and also my INSTAGRAM

    ResponderEliminar
  5. Algumas já conhecia! Obrigada pela partilha, é sempre bom saber!

    Bjxxx
    Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  6. Não tenho bichinhos, mas é sempre bom ter essa listinha em mãos para proteger os animaizinhos :D

    Beijinho!
    tipsnconfessions.blogspot.com

    ResponderEliminar