30/07/2018

Símbolos cruelty-free: Podemos confiar nos rótulos?


Com o aumento da sensibilização contra os testes em animais, cada vez é mais comum encontrarmos o famoso logótipo do coelhinho nos rótulos das embalagens. No entanto, será que podemos verdadeiramente confiar nesse e noutros símbolos similares?
Infortunadamente, a resposta não é positiva. Muitas empresas e marcas usam o símbolo cruelty-free estando envolvidas em testes com animais: como a consciência cruelty-free é cada vez maior, há quem tenha a infelicidade de se aproveitar disso e, assim, endrominar os consumidores que procuram por opções éticas.

Este artigo tem como objectivo ajudar a distinguir os produtos verdadeiramente cruelty-free daqueles que não são e foi baseado numa publicação do Cruelty-Free Kitty.


TESTES EM ANIMAIS: UMA BREVE INTRODUÇÃO


Porque devemos preferir marcas e produtos não testados em animais?

Os testes realizados em animais são cruéis, desnecessários e acabam por ser financiados quando compramos produtos de empresas que insistem nessa prática obsoleta. Geralmente são testes para calcular o nível de toxicidade, cujas substâncias são aplicadas nos animais por injecção, inalação, ingestão forçada, contacto dermal e contacto ocular.
Está irrevogavelmente comprovado que os animais têm a capacidade de sofrer, pelo que insistir em objectificá-los para as nossas conveniências é absolutamente errado. Ademais, existem inúmeros métodos alternativos e que são tão ou ainda mais eficazes do que as experiências com animais.



A QUESTÃO DOS SÍMBOLOS NOS RÓTULOS


Podemos confiar nos símbolos que encontramos nos rótulos, ou se neles está escrito not tested on animals?

Não. Muitas empresas e marcas passam uma informação errada ao usarem indevidamente o selo cruelty-free. O melhor procedimento é efectuar as seguintes etapas:

1. Reconhecer os únicos símbolos certificados. São da Leaping Bunny, da PETA e da Choose Cruelty Free. A PETA tem dois símbolos, sendo que as empresas podem continuar a utilizar o mais antigo se assim o preferirem.




2. Se o produto possui um desses logótipos, verifiquem a sua autenticidade procurando pela marca do produto no site da organização. Apesar de não ser comum, algumas empresas usam ilegalmente os selos oficiais, pelo que todo o cuidado é pouco. Abaixo, seguem os links dos bancos de dados das três ONG's:


Se o produto possui outro símbolo que não um dos acima ilustrados, significa que é falso/não é certificado. Se o produto possui o símbolo de uma dessas organizações mas a empresa/marca não surge no banco de dados respectivo, significa que está a ser usado sem permissão.


O produto não apresenta qualquer símbolo. E agora?

Muitas empresas são certificadas por uma ou várias das ONG's supracitadas, mas optam por não utilizar o símbolo. O motivo baseia-se no pagamento de uma taxa extra para que possam aplicar o selo nos seus produtos, o que faz com que imensas marcas e produtos cruelty-free não estejam identificados. Além disso, também há marcas que não testam em animais e que não estão certificadas por nenhuma dessas associações. As portuguesas Ach. Brito, Castelbel, Couto, Foz e Benamôr e as brasileiras Novex, Lola Cosmetics e Contente são alguns exemplos.
Para mais informações sobre o porquê de muitas marcas cruelty-free não serem certificadas, acedam aqui.


Podemos, então, confiar nas listas oferecidas por essas organizações?

Estas três organizações fazem um trabalho formidável, com destaque para a Leaping Bunny. No entanto, como foi referido acima, não enumeram todas as empresas e marcas cruelty-free que existem, pelo que averiguar fora dessas organizações é uma mais-valia para aumentar a quantidade de opções cruelty-free disponíveis. Muitos grupos e particulares activistas fazem investigações minuciosas, tornando-se numa ponte de ajuda para quem procura por marcas desse tipo. Acrescentem-nos à vossa pesquisa e procurem por blogues, sites, fóruns, etc., dando preferência a trabalhos actualizados e que apresentam informação credível e pormenorizada.
Não obstante, não recomendo que sigam a lista da PETA, visto incluir algumas marcas que estão ligadas a testes em animais na sua lista cruelty-free, o que pode gerar confusão. Para mais informações sobre a lista da PETA e o porquê desta não ser confiável, leiam este fabuloso artigo explicativo do Cruelty-Free Kitty.


Que perguntas devo colocar a uma empresa/marca?

Does your company test on animals, either for finished products or ingredients?
A vossa empresa testa em animais, quer para produtos acabados ou ingredientes?

Do your suppliers test on animals?

Os vossos fornecedores testam em animais?

Does your company hire or allow third parties to test on animals on your behalf?

A vossa empresa contrata ou permite que terceiros testem em animais?

Do you test on animals where required by law?

Testam em animais quando requerido por lei?

Are your products sold in mainland China?

Os vossos produtos são vendidos na China?

Se não receberem resposta, ou a empresa responder insatisfatoriamente, é preferível evitar as suas marcas e priorizar outras comprovadamente cruelty-free.


Cruelty-free é o mesmo que vegan?

Não. Cruelty-free abrange todo e qualquer produto não testado em animais, mas não é indicador de que o mesmo produto seja isento de ingredientes de origem animal. Um produto vegano, para além de ser cruelty-free, não tem ingredientes provenientes de animais.


Um produto vegano é biológico e natural?

Com o surgimento de mais marcas veganas e sustentáveis, cada vez é mais fácil encontrar itens que são tanto veganos como biológicos e também naturais. Contudo, há imensos produtos veganos que não são biológicos e/ou naturais e possuem ingredientes sintéticos e até mesmo químicos. O contrário também aplica-se: há produtos biológicos e naturais que não são veganos, sendo que mesmo alguns (pasmem-se!) não são cruelty-free.


Ser um consumidor mais ético pode parecer atribulado, mas com os passos certos é totalmente possível e acaba por tornar-se fácil com o hábito. Pesquisar por produtos cruelty-free não custa nada: já ser alvo de testes atrozes custa. E muito. E essa triste realidade é o suficiente para nos motivar a fazer compras mais conscientes.



Procuram por marcas e produtos cruelty-free? Comecem por aqui:

Lista de higiene e cosmética de marcas que testam ou que não testam, encontradas em supermercados
Lista de limpeza de marcas que testam ou que não testam, encontradas em supermercados


Sites e blogues que aconselho:

Maquiando Sem Crueldade (indicado para quem reside no Brasil)

9 comentários:

  1. Aqui está algo de que não oiço falar e que é realmente importante saber. Vou ver esses outros sites e blogues. Obrigada!

    http://atualidadesbyclaudia.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. Não posso acreditar que existem empresas que USAM os símbolos nas embalagens e NÃO São cruelty-free. Triste demais. O negócio é sempre conferir a veracidade da informação no site, guardando já esses links!

    Não Me Mande Flores

    ResponderEliminar
  3. Infelizmente, a falta de escrúpulos não tem limites. Parece que vale tudo! Quantas pessoas não terão sido enganadas :/
    Obrigada por esta partilha tão útil!

    ResponderEliminar
  4. Como tudo é praticamente novo se referindo a isso, tanto produtos sem testes em animais e mais ainda veganos, pode até parecer trabalhoso ter que prestar atenção nisso, mas acho que é questão de costume e mais ainda consciência.
    Para ser honesta nunca olhei rótulo de produtos para verificar essas questões, por não me vir a mente mesmo.
    Depois de ler aqui já não farei o mesmo. Muito bom relembrar!

    xero
    https://leayasnaya.blogspot.com

    ResponderEliminar
  5. Este post é esclarecedor, porque se eu via o selinho, já acreditava e tava feliz da vida. Que pena que existem marcas a ponto de mentir sobre isso, precisamos nos informar mais mesmo, para tentar acabar com isso
    Charme-se

    ResponderEliminar
  6. É triste que usem os selos nos produtos, não sendo verdade.
    Embora nem sempre olhe para os rótulos, esta publicação foi bastante útil e dá para perceber que o melhor mesmo é informarmo-nos. Obrigada pela partilha!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Devíamos conseguir combater as indústrias. Combatemos não comprando...

    ResponderEliminar
  8. Finalmente um post super informativo e a explicar verdadeiramente os significados! Por norma nunca confio e antes de comprar o que for procuro sempre muito bem e aí sim :D

    Beijinhos,
    DEZASSETE

    ResponderEliminar
  9. Já tinha reparado que algumas marcas não referiam o facto de não serem cruelty free, mesmo sendo, mas não fazia ideia porquê! Agora já sei, obrigada :D

    Kiss, Mariana Dezolt
    Messy Hair, Don’t Care

    ResponderEliminar