07/02/2018

Pequenos gestos para diminuir a pegada ecológica — Higiene e cosmética

Ao longo do tempo fui aprendendo que imensas coisas que nós consumimos mecanicamente acabam por ter consequências terríveis a nível da fauna e da flora. Algo aparentemente tão banal como usar plástico ajuda na destruição gradual do nosso planeta e dos seres vivos que habitam connosco. Precisamente por esse enorme problema, que acaba por tornar o plástico numa arma mortífera, muitas regiões tomaram resoluções como abolir os sacos de plástico e até mesmo talheres e copos descartáveis. No entanto, isso não é suficiente e a mudança deve partir de cada um de nós.

As tartarugas são umas das milhares de criaturas que sofrem com a poluição. Muitas crescem com deformações ou morrem sufocadas por confundirem os sacos de plástico com medusas, que fazem parte do seu regime alimentar.  Imagem [x]


É assustador ler estudos que mostram as atrocidades que acabamos por cometer involuntariamente com a Natureza e com os animais: o Uniplanet tem publicado imensas informações relevantes acerca do assunto, como o caso do Rio Tejo estar a morrer devido à poluição e das aves que acabam por ingerir plástico em quantidades absurdas. A situação tornou-se tão crítica que já foram descobertas várias ilhas de puro lixo e um documentário foi realizado para trazer à superfície o que permanece oculto aos nossos olhos: The Mermaids' Tears alerta para o enorme perigo que o plástico oferece às vidas sencientes, particularmente as marinhas e as aéreas, ao anunciar números horrendos como a existência de plástico em 95% das aves.

É importante sermos cada vez mais conscientes e abraçarmos práticas sustentáveis para diminuir a nossa pegada ecológica: precisamente por isso, bem como pela ligação evidente à causa animal, decidi listar algumas coisas simples que podemos levar a cabo.



Separar e reciclar

Imagem [x]

70% dos portugueses reciclam, o que é um indicador muito positivo da consciência que temos sobre a importância da reciclagem. Muitas árvores são poupadas, bem como não há tanto consumo de energia, água e de outros recursos necessários. Livrar-nos das pilhas, dos medicamentos e dos óleos alimentares correctamente é igualmente fundamental.
Contudo, é preciso ter presente que a reciclagem não é a solução e só mitiga uma migalha do problema. Cerca de 90% do plástico fabricado é de uso único e acaba por não ser reaproveitado. Por isso, devemos evitá-lo ao máximo e preferir alternativas mais ecológicas.



Descartar o descartável

Substituir produtos descartáveis por materiais biodegradáveis não é mal pensado. Alguns exemplos disso, todos eles práticos e acessíveis, são estes:


Champô sólido

O champô é um dos produtos de higiene mais comuns e utilizados, pelo que optar por um em barra ajuda a evitar imensos frascos de champô convencional. A Miristica tem vários champôs em barra, que também podem ser usados para a higiene do corpo.

Imagem [x]

Para além de ter unicamente ingredientes naturais, os champôs em barra duram mais tempo do que os champôs líquidos, o que os torna numa opção económica. Outra vantagem de preferir um champô ecológico, artesanal e biológico (entre outros produtos de higiene e cosmética do mesmo cariz) é que não estamos a financiar quaisquer testes em animais. Num mundo repleto de empresas que lançam milhares de marcas, chega a ser difícil saber ao certo quais testam e quais não testam: assim já não há incertezas e podemos respirar tranquilamente.

Outras marcas que vendem champôs sólidos:
Sente Senas
Árvore do Sabão
Folium Cosmética Natural
VeganCare
LUSH


Esponja natural

Imagem [x]

Contrariamente aos puffs, as esponjas naturais são de origem vegetal e biodegradáveis. No meio de várias seleccionei a luffa, também à venda na Miristica, por uma simples razão: é óptima para ser usada no banho e para lavar a loiça (desde que não se use a mesma, está claro). É proveniente de um fruto tropical e, nos cuidados da pele, ajuda a eliminar as células mortas e a desencravar os pêlos embirrentos após a depilação.


Esponja Konjac

Imagem [x]

Muitos exfoliantes convencionais possuem micropartículas de polímeros na sua composição (Polietileno/Polyethylene), uma substância altamente poluente. Esses microplásticos também são encontrados noutros cosméticos e produtos de higiene, embora sejam mais utilizados nos exfoliantes.
A esponja Konjac é uma óptima substituta desses produtos. É de origem vegetal e chega a durar três anos se for bem cuidada. Para além do factor ecológico acima referido, imaginem quantos boiões e bisnagas de exfoliantes acabamos por poupar só por adquirir uma esponjinha amorosa como esta 😊 Vale bem a pena.
Podem ler mais sobre esta pequena maravilha do Japão aqui.


Preferir máscaras caseiras para o cabelo

Imagem [x]

Cabelo oleoso
1 maçã
½ limão
½ copo de água mineral
Bater tudo no liquidificador e aplicar nos cabelos por lavar. Deixar actuar durante quinze minutos e enxaguar normalmente.

Cabelo seco
¼ de um abacate maduro
1 colher de sopa de azeite extra-virgem
2 ou 3 colheres de sopa do seu condicionador
Desfazer o abacate no liquidificador ou amassá-lo manualmente. Adicione o azeite e o condicionador até formar uma pasta homogénea.
Lavar o cabelo normalmente com champô e após enxaguar e retirar o excesso de água aplicar a mistura. Deixar por aproximadamente quarenta minutos e enxaguar muito bem.

Cabelo danificado
1 banana
Óleo de amêndoas doces
Esmagar a banana com algumas gotas do óleo. Aplicar nos cabelos e deixar actuar durante dez minutos. Retirar com água tépida e lavar o cabelo normalmente.

Cabelo pintado
1 chávena de café de castanhas picadas
1 chávena de café de leite de coco
Formar uma pasta com os ingredientes. Aplicar a mistura no cabelo seco e deixar actuar durante quinze minutos. Lavar normalmente.

Cabelo com caspa
1 cebola roxa média
Casca de 1 limão
Ralar a cebola juntamente com a casca de limão. Esfregar no couro cabeludo e aguarde por quinze minutos. Lavar como habitualmente.

Cabelo crespo
½ cenoura crua
½ beterraba crua
½ copo de água filtrada
Bater tudo no liquidificador. Coar, colocar num borrifador e distribuir abundantemente por todo o cabelo. Aguardar por vinte minutos a duas horas, enxaguar e finalizar com o condicionador.

Óleo de coco e de amêndoas doces são óptimos para prevenir pontas espigadas. Óleo de rícino é adequado para cabelo quebradiço.


Discos desmaquilhantes reutilizáveis

A quantidade de toalhitas e/ou de discos de algodão que utilizamos ao longo da vida para remover maquilhagem consegue assustar se pensarmos um bocado nisso. A Fluffy Organic & Eco vende discos desmaquilhantes de algodão biológico que podem ser usados e lavados durante um bom tempo. É óptimo para poupar o ambiente e a carteira.


A Fluffy Organic & Eco também vende discos de amamentação reutilizáveis, feitos de licra, algodão e veludo de bambu.


Curetas auriculares reutilizáveis


Apesar dos cotonetes não serem recomendados, muitos de nós insistimos em usá-los. Para quem gosta de empurrar a cera para dentro do ouvido sempre tem esta alternativa ecológica, com a mesma funcionalidade de um cotonete mas de bambu, reutilizável e lavável. Podem encontrar à venda neste site. Também há cotonetes biodegradáveis, alguns de algodão e bambu e outros só de algodão. Estão à venda no Sapato Verde, Mind the Trash, Planetiers e Verda Tero.

Cotonetes de plástico poluem os oceanos e representam perigo para a vida marinha


Escova de dentes de bambu

Todos os anos, mais de 5 biliões de escovas de plástico são produzidas e descartadas, acabando por parar em aterros e até mesmo nos oceanos. Assim como a maior parte dos produtos feitos de plástico, demoram meio milhar de anos a degradar-se: as escovas de dentes de bambu têm cabos 100% biodegradáveis, pelo que são uma resposta ecológica ao efeito negativo do uso das escovas de dentes tradicionais.


As apresentadas são da Babu, que podem ser encontradas em lojas físicas e online (ver todos os pontos de venda).
O bambu, para além de ser auto-sustentável, é naturalmente anti-bacteriano. Assim como uma escova convencional, deve ser guardado num local seco e longe de outros utensílios para evitar o contacto com germes. Também deve ser trocada ao fim de dois ou três meses de utilização.

Breve nota: Colgate, Aquafresh, Oral B, Sensodine, Reach e Elydium são marcas testadas em animais.


Óleo de coco vs. Milhares de produtos embalados

Imagem [x]

Já escrevi aqui sobre a versatilidade do óleo de coco. Pode ser usado como desmaquilhante natural, hidratante capilar, hidratante pós-depilação, como base para desodorizante, como anti-bacteriano bucal, para cozinhar, entre outros. Por ser quase um tudo-em-um é óptimo para reduzir a quantidade de lixo que fazemos e para evitar a compra de imensas coisas que são testadas em animais. É indicado para peles e cabelos normais/secos e é considerado mais saudável do que outros óleos alimentares. Prefira-o biológico e sem ingredientes adicionados para obter todas as suas propriedades ao máximo.


Fazer o próprio amaciador

Imagem [x]

Apesar de já não escrever mais, a Mariana deixou o seu blogue aberto e, com ele, várias dicas que demonstram as suas preocupações éticas e ecológicas. O exemplo de amaciador que ela dá é indicado para cabelos loiros, mas podem usar outra planta. Só precisam de juntar três colheres de sopa de camomila em 100ml de água a ferver durante 15 minutos, filtrar e adicionar o vinagre de cidra, mexer bem, guardar num frasco e usar nas pontas do cabelo.

São menos embalagens usadas e atiradas para o mar e, com este pequeno gesto, a Mariana evita produtos testados em animais 😊 E não fica cheiro a vinagre no cabelo.

Outras dicas espectaculares da Mariana:

Transformar barras de sabonete em gel de banho {bom para evitar o consumo excessivo de embalagens}
Desodorizante DIY {idem}
Reciclar sobras de vela {bom para evitar desperdício}


Adquirir uma máquina de barbear (ou oferecer uma quando o homem está teimoso que nem uma mula)


Assim como as escovas de dentes, as lâminas descartáveis demoram centenas de anos a degradar-se e acabam por ter um impacto negativo no ambiente (sem contar que as marcas mais conhecidas, como a BIC e Gillette, são testadas em animais). É uma boa alternativa que acaba por ser mais económica e duradoura — só aconselho que evitem a Braun por pertencer à Procter & Gamble (P&G), empresa que realiza testes em animais.

11 comentários:

  1. Utilizo todos, mesmo assim ainda me sinto fraca parece que podia ser tudo tão mais simples.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não és nada fraca. O que fazes é muito mais do que sei lá quantas pessoas que não se esforçam sequer. Continua assim :)

      Beijinho*

      Eliminar
  2. Parecendo um bocado "ignorante", confesso que nao sabia que as tartarugas comiam medusas mas acho as tartarugas tão fofas!

    ResponderEliminar
  3. Uau! Adorei o post! Adorei o blog! Adoro-te!! Nova Seguidora assídua!! Obrigada!! <3

    Blog: https://bolacha-mariaa.blogspot.pt/
    Projeto: http://ajudaoplanetaesalvaomundo.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Ainda ontem estava a ouvir um podcast precisamente sobre tudo o que usamos e é descartável e que tanto polui... E todos os danos que causa ao ambiente e o mal que faz aos animais :(
    Adorei todas as sugestões que deste e estou a tentar adotar várias delas :) Tenho de experimentar fazer o amaciador :D Obrigada pelas sugestões!

    ResponderEliminar
  5. Estarmos cada vez mais conscientes destas questões é mesmo importante, porque conseguimos alterar hábitos que podem ter consequências tão negativas.
    Excelentes dicas!

    r: O livro está incrível *.* «Persuasão» nunca li, mas já o adicionei à minha lista. Li, sim, «Sensibilidade e Bom Senso» que, apesar de ter gostado bastante, tem, a meu ver, um lado ligeiramente mais previsível. Relativamente às As irmãs Brontë, deixaste-me curiosa.
    Adoro os livros da Torey Hayden! O trabalho que ela desenvolve com as crianças é fabuloso. Já tive oportunidade de ler cinco e tenho mais três à espera.
    Sem dúvida, concordo totalmente :) neste momento, tenho a edição normal, uma edição especial (com prefácio de Valter Hugo Mãe) e a versão com anotações de José Luís Peixoto e ilustrações de Hugo Makarov. Queria muito comprar a de Pop Up

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens mesmo de ler as irmãs Brontë; a Emily só deixou um livro, O Monte dos Vendavais e é lindíssimo. Da irmã mais velha li o Jane Eyre e também adorei; só me falta ler algo da irmã mais nova ^_^
      Eu também quero imenso o livro pop-up d'O Principezinho, está tão giro❤❤

      Eliminar
  6. Cá em casa é obrigatório reciclar! Mas quanto ao resto ainda tenho um caminho tão longo pela frente... Este post vai diretamente para os favoritos, quero muito experimentar algumas dessas máscaras caseiras :) Beijinhos <3

    ResponderEliminar