19/09/2018

Los Angeles torna-se na maior cidade dos EUA a proibir vendas de peles


A causa dos direitos dos animais conseguiu mais uma vitória: Los Angeles acaba de tornar-se na maior cidade americana a proibir as vendas de peles.

O Conselho Municipal da cidade aprovou o fim das vendas de peles precisamente ontem, 18 de Setembro. A votação foi unânime.

A moção foi apresentada pela primeira vez pelo vereador Bob Blumenfield, co-apresentada pelo vereador Paul Koretz e apoiada pelo vereador Mitch O'Farrell. A interdição entrará em vigor daqui a 24 meses e incluirá toda a venda de qualquer produto que contenha peles de animais, desde casacos, bolsas, sapatos, chapéus e jóias.

Estamos em 2018 não há desculpas para continuarmos cúmplices deste negócio desumano e desnecessário, disse o vereador Blumenfield. Com este voto estamos a dizer ao mundo que Los Angeles preocupa-se com o bem-estar animal.
Agradeço ao membro do Conselho Paul Koretz e ao criador da Animal Hope and Wellness Foundation, Marc Ching, por fazerem uma parceria e ajudarem a mobilizar tantas vozes. Continuaremos a ser líderes nos esforços pelo bem-estar animal e devemos trabalhar com outras cidades e estados até que esta prática vil termine em toda a nossa nação.

Marc Ching, fundador e presidente da Animal Hope and Wellness Foundation, reagiu a esta marcante decisão num comunicado:

Los Angeles assumiu uma postura ética e moral em que a crueldade com os animais não é aceitável. A proibição das peles não é apenas criar uma consciência sobre o bem-estar animal também é sobre criar uma comunidade mais humana.

No dia da votação, membros da PETA e da Animal Hope in Legislation lideraram um comício para lembrar aos vereadores que não é o futuro que é livre de peles e sim o presente. Várias personalidades famosas incluindo Maggie Q, Joanna Krupa, Jayde Nicole, Tony Kanal e Cornelia Guest juntaram-se ao grupo, bem como alguns residentes que quiseram apoiar activamente a proibição.


Com este banimento, Los Angeles poupará milhões de animais de serem espancados, electrocutados e esfolados vivos por itens que, para além de irrefutavelmente cruéis, são tóxicos para o ambiente pormenor que a indústria das peles procura desmentir mas que é bem real.

Los Angeles é a maior cidade dos Estados Unidos a proibir as peles de animais, mas não é a primeira. Em Março deste ano, São Francisco colocou um ponto final na venda de peles. Berkeley e West Hollywood também têm proibições. O estado californiano, conhecido pelas suas políticas de esquerda, vai votar por leis mais agressivas de bem-estar animal em Novembro e junta-se ao movimento fur-free na Europa, que actualmente tem dez países que proibiram as fazendas de peles: Áustria, Holanda, Noruega e Luxemburgo são alguns deles.

Não é só no seio político que as vozes dos animais estão, finalmente, a ser ouvidas: no mundo da moda, o número crescente de designers e de marcas de luxo estão igualmente a afastar-se das peles, como Versace, Tom Ford, Gucci e Donna Karan. Já a estilista Stella McCartney lançou recentemente uma colecção que conta com peles sem pele para este Outono/Inverno.


Fontes da notícia: Livekindly e PETA
Imagem: Pexels
Fotografia: PETA

4 comentários:

  1. Os animais inocentes estão por fim a ganhar voz. Ainda que aos poucos.. já é uma vitória.

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  2. Passo a passo, estas vitórias começam a tornar-se mais expressivas. E ainda bem!

    ResponderEliminar
  3. Tão feliz com essa notícia. Espero que todos os países possam aderir logo! O ser humano não pode usar um animal indefeso apenas para suprir seu ego em coisas materiais.

    www.kailagarcia.com

    ResponderEliminar
  4. Que bom! É mesmo uma excelente notícia, este negócio das peles sempre me deixou revoltada.
    Agora é continuar :)

    ResponderEliminar